Arquivo | Língua RSS feed for this section

Por que você deveria saber mais sobre Karel Čapek

27 jan

Em 1921, estreou a peça R.U.R, escrita pelo tcheco Karel Čapek. É reconhecida como o surgimento da palavra robô (robot) – esse é o primeiro fato difundido sobre o assunto. A peça é uma ficção científica onde uma companhia (Rossum’s Universal Robots) cria os tais robôs para fazer o trabalho dos humanos. A maior parte se passa dentro do escritório da companhia, onde os personagens humanos discutem e descrevem o que acontece no mundo lá fora. Não vou falar muito sobre a trama, para quem quiser lê-la, mas é justo dizer que as coisas, claro, não saem tão bem quanto esperado.

R.U.R. encenada pela Theatre Guild, New York, 1922

 

Tirando isso, não costuma-se falar muito sobre o Čapek. Mas você deveria saber mais sobre ele e para isso cá estamos nós.

Continue lendo

Por que diabos “Praga”!?

20 jan

De vez em quando aparece nas nossas estatísticas do blog alguém que chegou até aqui procurando pela origem do nome de Praga. Eu também tinha curiosidade a esse respeito. Aliás, ainda tenho. Aqui vai o que eu descobri até agora – se algum dia eu achar algo mais concreto, coloco também.

Para começar pelo fim, “Praga”. A palavra em português dá margem pra muitas gracinhas, mas não está relacionada a pragas, no sentido de pestes ou gente chata. É só uma adaptação do nome vindo de outra língua.

Eu achava que seria uma aproximação fonética de Prague, tanto em francês quanto inglês (que é de onde tiramos muitas das nossas palavras estrangeiras). E de onde vem “Prague”? Do alemão Prag. E esse, de onde vem? Do tcheco, oras.

Mas na verdade a palavra em português pode ter vindo diretamente do tcheco (talvez passando por espanhol, já que é igual nas duas línguas). Afinal, esses povos estão lidando uns com os outros há muito tempo. Por exemplo, no século XVI, enquanto o Felipe II governava o reino de Portugal (entre outros), seu tio Ferdinando governava o reino da Boêmia (entre outros). Então apesar de eu gostar do caminho tcheco – alemão – francês/inglês – português, é mais provável que Praga tenha chegado até nós direto do original.

Continue lendo