Archive | História RSS feed for this section

Olomouc

29 ago

Olomouc é uma das cidades mais bonitas que já vimos na República Tcheca. É uma cidadezinha universitária no norte da Morávia, região leste do país.

A região de Olomouc começou a ser ocupada pelos eslavos por volta do século 6. No século 11 já era sede de um bispado e por causa de sua crescente importância, a ocupação foi transformada em cidade no meio do século 13. Durante a idade média, era a maior cidade da Morávia.

E hoje? Bem, hoje Olomouc ainda carrega a importância religiosa, mas é também uma cidade universitária muito viva. Em Olomouc fica a segunda universidade mais velha da República Tcheca (a mais velha é a Karlovo Univerzita em Praga) e atualmente uma das melhores de todo o país, a Univerzita Palackého. Estima-se que cerca de um terço da população de Olomouc sejam estudantes, o que se traduz em muitos bares e cafés pela cidade, e uma atmosfera muito descontraída.

Continue lendo

Plzeň

6 jul

Aproveitamos os feriados para fazer umas viagenzinhas e conhecer lugares que ainda nãotínhamos visto. Um desses era Plzeň, uma cidade, veja bem, de certa fama.

Primeiro, por causa da cerveja: toda e qualquer cerveja no mundo chamada de Pilsner deve essa honra aos métodos de fabricação criados aqui, em Plzeň.

E em termos de fama, é só isso mesmo. Continue lendo

Monumento Nacional em Vítkov

1 abr

Em uma colina chamada Vítkov fica um enorme memorial, reconhecível de longe pela bela estátua do Jan Žižka montado em seu cavalo – uma das maiores estátuas eqüestres do mundo, a propósito. Quando li sobre certos assuntos recentes no Brasil, não pude deixar de lembrar da história deste memorial. Aqui vai, então, uma breve apresentação:

O monumento foi construído no começo do século XX, expandido depois da Segunda Guerra; essa não é a parte que importa. Quando os comunistas tomaram o poder, o memorial teve seu propósito desviado, assim como muita coisa no país, para exaltar o ideal e o regime. Se tornou, inclusive, um mausoléu para figuras importantes do Partido e, mais importante, presidentes da era comunista.

Depois que o comunismo foi derrubado, os cadáveres foram exumados e enterrados numa vala comum.

Continue lendo

Tábor e sua história

6 fev

Tábor é uma cidadezinha no sul da República Tcheca com uma história curiosa. No começo do século XV, Jan Hus foi queimado vivo pela Igreja e seus seguidores se organizaram, se rebelaram, lutaram contra a Igreja e todo esse período cheio de turbulência social e política é chamado de “Guerras Hussitas” (eu já falei um pouco mais sobre isso antes, bem como sobre a palavra tábor, quando falei da origem do nome de Praga).

Pois bem. Um grupo dos mais radicais dos Hussitas se estabeleceu na colina onde hoje é Tábor e a cidade foi fundada propriamente em 1420. Foi uma ‘base rebelde’ por mais de 30 anos antes de ser tomada pelo exército real. Teve, portanto, sua merecida importância.
Continue lendo

Por que você deveria saber mais sobre Karel Čapek

27 jan

Em 1921, estreou a peça R.U.R, escrita pelo tcheco Karel Čapek. É reconhecida como o surgimento da palavra robô (robot) – esse é o primeiro fato difundido sobre o assunto. A peça é uma ficção científica onde uma companhia (Rossum’s Universal Robots) cria os tais robôs para fazer o trabalho dos humanos. A maior parte se passa dentro do escritório da companhia, onde os personagens humanos discutem e descrevem o que acontece no mundo lá fora. Não vou falar muito sobre a trama, para quem quiser lê-la, mas é justo dizer que as coisas, claro, não saem tão bem quanto esperado.

R.U.R. encenada pela Theatre Guild, New York, 1922

 

Tirando isso, não costuma-se falar muito sobre o Čapek. Mas você deveria saber mais sobre ele e para isso cá estamos nós.

Continue lendo

Por que diabos “Praga”!?

20 jan

De vez em quando aparece nas nossas estatísticas do blog alguém que chegou até aqui procurando pela origem do nome de Praga. Eu também tinha curiosidade a esse respeito. Aliás, ainda tenho. Aqui vai o que eu descobri até agora – se algum dia eu achar algo mais concreto, coloco também.

Para começar pelo fim, “Praga”. A palavra em português dá margem pra muitas gracinhas, mas não está relacionada a pragas, no sentido de pestes ou gente chata. É só uma adaptação do nome vindo de outra língua.

Eu achava que seria uma aproximação fonética de Prague, tanto em francês quanto inglês (que é de onde tiramos muitas das nossas palavras estrangeiras). E de onde vem “Prague”? Do alemão Prag. E esse, de onde vem? Do tcheco, oras.

Mas na verdade a palavra em português pode ter vindo diretamente do tcheco (talvez passando por espanhol, já que é igual nas duas línguas). Afinal, esses povos estão lidando uns com os outros há muito tempo. Por exemplo, no século XVI, enquanto o Felipe II governava o reino de Portugal (entre outros), seu tio Ferdinando governava o reino da Boêmia (entre outros). Então apesar de eu gostar do caminho tcheco – alemão – francês/inglês – português, é mais provável que Praga tenha chegado até nós direto do original.

Continue lendo

Um Pouco de Política na República

21 nov

Só por curiosidade, resolvi falar um pouco da política na República Tcheca. Só aí é que me dei conta de que, bem, eu não sei muito sobre ela.

Não saber ler tcheco (ainda!) torna difícil acompanhar os acontecimentos no país, mas não é impossível. Algum conhecimento já permite ler pelo menos as manchetes (o mais irritante é quando entendemos quase toda a frase, exceto uma palavra-chave). E claro, existem publicações online sobre Praga em inglês, como o Prague Post ou o Prague Monitor.

Mas mesmo por outras fontes, é meio inevitável não ficar sabendo de algumas coisas que acontecem por esses lados. Até porque 2010 foi ano de eleições, então recebemos spam eleitoral freqüentemente e metade dos cartazes na cidade eram de candidatos (alguns eu só descobri depois, entretanto. Até pouco tempo atrás, eu achava que “Top 09” era alguma marca que tinha um sério problema em escolher garotos-propaganda).

Então, eis aqui a Política na República Tcheca pelo ponto de vista de alguém que não entende muito do assunto. Tenho basicamente só as impressões acumuladas pela vida cotidiana, mas já é mais do que muita gente.

Continue lendo