Arquivo | Dicas RSS feed for this section

Os tchecos e os livros (e livrarias em Praga)

4 set

Os tchecos lêem bastante.

É possível notar isso no transporte público: além dos costumeiros fones de ouvido e jornaizinhos gratuitos como o Metro, sempre há algumas pessoas com seus livros, às vezes encapados com jornal. Um tempo atrás, numa época em que eu pegava sempre a mesma linha no mesmo horário e por isso via alguns rostos recorrentes, eu acompanhei por umas semanas o progresso de um fulano lendo Eragon. Notei no primeiro dia, porque ele estava abrindo as primeiras páginas. Na semana seguinte, encontrei-o de novo, e depois, e depois de novo, e o marca-páginas ia progredindo. Até que um dia ele estava lendo outro livro.

Não sei se vem de berço, se é recente, se o governo tem o dedo nisso ou não. É só uma observação, porque depois de um tempo fica meio evidente. Boa parte dos outdoors e cartazes publicitários, principalmente no metrô, são relacionados a livros. De acordo com a minha pesquisa de campo (metodologicamente impecável, devo dizer), nas estações de metrô em Praga há 3 vezes mais pôsteres de lançamentos de livros do que de lançamentos de filmes. Interessante, não?

Continue lendo

Olomouc

29 ago

Olomouc é uma das cidades mais bonitas que já vimos na República Tcheca. É uma cidadezinha universitária no norte da Morávia, região leste do país.

A região de Olomouc começou a ser ocupada pelos eslavos por volta do século 6. No século 11 já era sede de um bispado e por causa de sua crescente importância, a ocupação foi transformada em cidade no meio do século 13. Durante a idade média, era a maior cidade da Morávia.

E hoje? Bem, hoje Olomouc ainda carrega a importância religiosa, mas é também uma cidade universitária muito viva. Em Olomouc fica a segunda universidade mais velha da República Tcheca (a mais velha é a Karlovo Univerzita em Praga) e atualmente uma das melhores de todo o país, a Univerzita Palackého. Estima-se que cerca de um terço da população de Olomouc sejam estudantes, o que se traduz em muitos bares e cafés pela cidade, e uma atmosfera muito descontraída.

Continue lendo

Festival de Cinema Tcheco, no Brasil

6 out

Neste mês o CCBB apresenta uma Mostra de Cinema Tcheco. Começou hoje, em Brasília, depois vai para São Paulo e Rio de Janeiro. Aproveitemos a deixa, então, pra fazer a recomendação e falar um pouco do que poderá ser visto – e de cinema tcheco em geral! Já assistimos só alguns dos filmes que estarão no festival, mas parece que vai ser bem representativo, apesar de pequeno.

O cinema tcheco, até onde pudemos ver e ouvir falar, é bem representado por comédias dramáticas – histórias engraçadas mas meio perturbadoras, ou histórias dramáticas com personagens engraçados… o que eles chamam de ‘riso amargo’, ou algo assim.

Continue lendo

Visitando Amsterdam com o Guia Ducs em mãos

10 ago

Parafraseando um homem sábio:

Então você tá a fim de ir pra Amsterdam? Boa escolha, boa escolha…

Nós já fomos a Amsterdam algumas vezes e cada vez a cidade fica mais legal. Temos o privilégio de ter quem nos acolha por lá, então fica tudo mais fácil, e sempre é um prazer visitar.

Na semana passada, estivemos lá de novo, desta vez com um objetivo extra: testar in situ o Guia Ducs Amsterdam, lançado pelo Daniel Duclos agorinha, em Julho de 2011.

Continue lendo

Atualizações rápidas, enquanto o jantar fica pronto!

24 jun

Faz tempo que não postamos nada novo, né? Pois é. Então, sem mais nem menos, resolvi colocar algumas coisas aqui.

O verão

O verão chegou oficialmente, embora esses últimos dias estejam mais frios e chuvosos do que estava na primavera – e muito menos calor do que no ano passado, o que não é necessariamente uma má notícia porque no ano passado o calor foi de matar. O que é preocupante é que nos últimos fins de semana (e neste parece que vai ser igual) está fazendo tempo ruim, vento frio e chuva. Desse jeito, como vão ficar nossos planos de ir catar morango!?

Continue lendo

Brno

10 maio

Não, não errei ao digitar. Brno é escrito assim mesmo.

Brno é a segunda maior cidade da República Tcheca e capital da região da Morávia. Fica a cerca de duas horas e meia de Praga, no meio do caminho entre Praga e Vienna. Aliás, muita gente que faz o trajeto Praga-Vienna de ônibus provavelmente faz uma paragem lá. Aproveitamos que nossos amigos estariam numa cidade por perto e marcamos de nos encontrar em Brno para explorarmos juntos essa parte da República Tcheca que ainda não conhecíamos (e continuamos sem conhecer muito bem). Passamos apenas um domingo lá, e deu para ver a maior parte das atrações. Talvez passar o dia lá seja mais fácil num sábado, quando tem mais lojas e restaurantes abertos.

Apesar de ser a segunda maior cidade da República Tcheca, Brno não é muito grande. Conta com cerca de 300 000 habitantes. É uma cidade muito engraçadinha, o centro histórico é relativamente pequeno, então deu para andarmos sem problemas grandes. Aliás, o único problema foi o vento que decidiu bater frio, muito frio.

Continue lendo

Festivais de cinema em Praga

17 mar

Post rápido para descontar que está um tanto atrasado! Eu já falei sobre filmes rodados em Praga, agora falemos dos que são exibidos aqui – particularmente nos muitos festivais.

Pois então: há vários festivais de cinema em Praga. Acontecem em geral anualmente, cada um sempre na mesma época. Pensei até em escrever sobre festivais em geral, mas aí seria necessário um artigo bem grande… então, fiquemos por enquanto com os de cinema.

Os festivais internacionais aqui em Praga geralmente têm algumas características em comum: os filmes são legendados em inglês e tcheco (ou em só um dos idiomas, quando o original é inglês ou tcheco). Mas há exceções então é bom conferir na programação. Os sites dos festivais também costumam ser bilíngues e dar sinopses, às vezes permitem assistir trechos dos filmes, comprar ingressos, etc.
Continue lendo

Inverno

19 dez

A neve já está caindo há várias semanas, mas daqui a pouco é que o inverno começa oficialmente. O inverno passado foi bem atípico – recorde de frio, de neve acumulada, de período com neve, etc. – e este parece que vai ser também.
Eis então algumas considerações e recomendações para essa estação na República Tcheca.

Frio?

Sim, frio! Bem, dependendo dos seus padrões de comparação, não muito. Mas eu considero que se nós estamos em um lugar em que gelo cai do céu e não derrete por dias (quiçá meses), é mais frio do que viver dentro de uma geladeira – portanto, frio.

Continue lendo

Divoká Šárka

21 ago

[pronúncia: Divokaa Shaarka]

Vista de Divoká Šárka. Quando chegamos, havia um rebanho de carneiros pastando no alto do rochedo.

Quando cheguei em Praga e pulei no ônibus para ir para casa, uma das primeiras paisagens que vi logo após o aeroporto foi a da reserva natural Divoká Šárka. No inverno a vista estava maravilhosa, com a neve cobrindo os rochedos. Naquele momento me prometi que um dia iria passear por lá. O nome Divoká Šárka traduz como “Šárka selvagem”. Reza a lenda que muito tempo atrás, onde hoje está Praga, um lado do rio Vltava era controlado por uma tribo de amazonas e o outro lado, o de Vyšehrád, por uma tribo só de homens. A tribo das amazons andava sob a ameaça iminente de um ataque da tribo dos homens e, como eram poucas, decidiram por capturar o melhor guerreiro dos homens, Ctirád [tstiraad], e assim desmotivar a tribo masculina. A líder das amazonas então mandou Šárka, que considerada muito bonita, servir de isca para capturar Ctirád. A partir deste ponto surgem duas versões para a lenda: a primeira conta que Šárka conseguiu seduzir Ctirád e, enquanto ele dormia, as amazonas o capturaram e o mataram. A segunda versão conta que Šárka o matou. Após o feito Šárka joga-se dos penhascos e aí surge outra controvérsia: o motivo para a queda. Uma versão diz que ela se jogou como forma de penitência por sentir-se culpada pelo assassinato, enquanto que a outra versão diz que ela havia se apaixonado por Ctirád e se jogou porque estava sofrendo muito com sua perda. O nome deste penhasco é Divci Skok (o salto da garota). Continue lendo

Como não comer carne em Praga

29 jul

O Anthony Bourdain chamou Praga de “a terra que os vegetais esqueceram”. Na época, eu concordei (com a ressalva de que batata e repolho são vegetais…) Lendo agora nos Ducs em Amsterdam o post sobre a visita deles, em que o Daniduc conclui mais ou menos a mesma coisa, achei que devia fazer umas ressalvas. O suficiente, quem sabe, para um post? Sim!

Quando eles nos visitaram, de fato nós não saberíamos desafiar o conceito de que comer fora desviando-se de carnes, na República Tcheca, é no mínimo complicado. De fato, “salada” aqui freqüentemente vem com frango; o halušky, um prato típico eslovaco que à primeira vista no menu parece vegetariano, volta e meia vem com pedacinhos de bacon; e uma das únicas vezes em que eu comi um peixe, ele veio literalmente enrolado em bacon… sei que o peixe não conta, foi só pra ilustrar como às vezes, pela descrição, você acha que um prato não tem tal ingrediente, mas ele só está implícito. Aqui, é carne. Alguma carne.

Mas, com o tempo e uma certa prática, fomos achando umas exceções dignas de nota. Exemplos a seguir! Continue lendo