Plzeň

6 jul

Aproveitamos os feriados para fazer umas viagenzinhas e conhecer lugares que ainda nãotínhamos visto. Um desses era Plzeň, uma cidade, veja bem, de certa fama.

Primeiro, por causa da cerveja: toda e qualquer cerveja no mundo chamada de Pilsner deve essa honra aos métodos de fabricação criados aqui, em Plzeň.

E em termos de fama, é só isso mesmo.

Muralzão perto das ruínas da antiga muralha. Aquele troço com 5 braços, embaixo, é o símbolo de Plzeň.

Mas uma cidade não vive só de cerveja! Plzeň é uma cidade um tanto industrial, com uma senhora presença da Škoda e fábricas de… bem… cerveja.

Veja bem, a cerveja mais popular da República Tcheca (certamente de Praga) é a Pilsner Urquell. Este nome é alemão, aliás; em tcheco, o nome oficial é Plzeňský Prazdroj, o que significa tipo “Original de Plzeň”. Mas a fama internacional e o logo que se vê pra todo canto aqui em Praga usam mesmo Pilsner Urquell.

A propósito de popularidade, já mencionamos que cerveja aqui é mais barato do que água? Fato. Em qualquer estabelecimento que se preze, uma caneca de meio litro da cerveja local – cada restaurante geralmente serve só uma ou duas marcas – sai por umas 29 CZK; trinta e poucas no máximo, dependendo do lugar e da cerveja. Água, meu caro, é de 35 pra cima, e isso por uma garrafica de 20o ml.

Só pra esgotar logo o assunto, não, Pilsner Urquell não é a melhor cerveja daqui (mas, claro, isso vai de opinião). Talvez seja a Kozel; a Bernard também tá acima da média; e tem também as mais especiais, tem uma chamada Satan, ou a Skalák, que não são tão fáceis de achar; mas em algumas cervejarias…

CHEGA! Quem tá fa;lando de cerveja!? Esse post é sobre PLZEŇ! PLZEŇ! Então vamos deixar de lado essa bebida inominável e falar da cidade em si!

O centro da cidade é até bem charmoso.

Jardins floridos, várias fachadas bonitas e interessantes, uma catedralzona no meio de uma praça… andar a esmo pelo centro antigo foi um bom passeio, mesmo com o calor que tava fazendo.

A gente fez “uau” pro prédio da antiga (bem antiga) prefeitura, demos uma passeada na praça fazendo “ulha” pras fontes loucas, e saímos pelas ruazinhas e não tão inhas atrás do museu da cerv…

Música, viu!?

Museu da Música! MÚSICA!

Deixa eu explicar, é sério: apesar de toda a curiosidade científica sobre o processo de fabricação e o milagre da vida que são bactérias procriando loucamente e arrotando ar dentro de um tanque, nós não estávamos muito interessados no museu da cerveja não. Só que o museu da cerveja é também a entrada para os subterrâneos de Plzeň.  Acabou que não entramos: só havia visitas guiadas, de hora em hora, e nós chegamos 15 minutos depois de uma delas começar. Então tocamos o bonde, mas foi uma pena. Imagino que seja interessante.

Há por volta de 11 km de túneis passando por baixo do centro da cidade. Eram catacumbas e porões e túneis mesmo que foram sendo construídos desde o século XIV, e ao longo do tempo interligados, interditados, reorganizados. Inicialmente, supõe-se, eram usados para fabricar, armazenar e transportar uma certa bebida típica da região. Se é que você me entende.

A propósito, já que voltamos a falar do assunto, uma curiosidade: aparentemente, havia muita produção local de cerveja em Plzeň, mas, diz a lenda, os próprios produtores reconheciam que as cervejas que faziam era de má qualidade. Por isso, eventualmente eles resolveram se juntar e falar “chega disso! Se daqui a algumas centenas de anos as pessoas vão insinuar na internet que a nossa cidade só é famosa pela cerveja, a gente devia pelo menos fazer uma decente!” E aí, no espírito comunitário, crowdsourcing, quase, eles compartilharam suas técnicas e aparatos e surgiram com ela, a grande, a onipresente, Plzeňský Prazdroj.

Mas então, antes caminharmos além do centro, chegando nas vizinhanças um pouco mais caidinhas e na beira da área industrial, note a sinagoga, próxima ao teatro, quase discreta num cruzamento de avenidas – é a terceira maior sinagoga do mundo. Além de ainda funcionar como sinagoga (o que muitas no país deixaram de fazer depois que, por motivos óbvios, o número de judeus morando na Tchecoslováquia diminuiu absurdamente), serve também como local de exposições.

Nem só de boniteza se faz uma cidade.

Parte industrial.

Agora sim, reto pela avenida, no sol de rachar, vira, anda mais um tanto, e estamos de volta na estação central. Grande, charmosa, bem conservada (bem mais do que a de Praga que, justiça seja feita, tá passando por uma senhora reforma). É também no meio do caminho de Praga pra Munique, então muitos viajantes nesse trajeto passam por ali sem nem notar.

Glória aos valores da terra!, ou sei lá o quê.

Na parede da estação central.

E tá aí a nossa viagem. Plzeň é perto de Praga, então sempre fomos deixando pra depois, “qualquer dia desses a gente vai”, etc. E não é nada longe, de fato; deu pra ir, ver qualé a dela, rodar um pouco, e ainda voltar a tempo de tomar banho de piscina, que esse calor aqui tá de matar.

Anúncios

13 Respostas to “Plzeň”

  1. Raf Ael 6 de julho de 2012 às 11:13 pm #

    Olá. Acabei de descobrir esse blog (via o blog dos Ducs) em muitas de minhas pesquisas em função dum mochilão que minha namora e eu faremos mês que vem pela Europa.
    E o local que ficaremos mais tempo é justamente Praga(18 a 24 de agosto – embora esteja pensando em substituir o último dia por Cesky Krumlov).
    Como tá tudo muito corrido agora, não conseui explorar o blog todo, o que tentarei fazer depois.
    Quanto Plzen, vale a pena? Pensei em ir mas fiquei com medo de ser um passeio de uma pessoa só, pois eu sou estusiasta da cerveja e minha namorada não gosta(ao menos até eu convencê-la do contrário hehe), esta herege. Enfim, a real pergunta é: vale a pena visitar sem interesses cervejeiros?

    Um abraço e boa sorte por aí.

    • jvbernatel 7 de julho de 2012 às 9:11 am #

      Olá Rafael,
      hmmm, algumas considerações aí:
      Primeiro, que Cesky Krumlov é um pouco longe – são umas três horas pra ir, mais três pra voltar de trem ou ônibus. Dá pra fazer em um dia, mas vocês deviam pelo menos considerar ir num dia e voltar no outro, a não ser que aluguem um carro. E a região é muito bonita demais para um dia só. 🙂
      Falando nisso, no caminho de Český Krumlov fica České Budějovice, que é o local de nascimento da Budvar (também conhecida como Budweiser – nada a ver com a americana, claro). Então é uma possibilidade fazer as duas numa só viagem…
      Mas voltando a Plzeň: eu acho que se a sua namorada for matar o tempo enquanto você aprecia a arte da cervejaria, ela não vai se entediar não. É uma cidade gostosa de ficar à toa, e tem lá suas atrações, quase todas próximas o bastante uma da outra pra andar a pé.
      Divirtam-se!

      (Ah: se você for ao museu da cerveja, cheque os horários antes porque a entrada é de hora em hora, como eu disseno post, e se não me engano só um ou dois tours por dia são em inglês.)

      • Rafael 7 de julho de 2012 às 6:18 pm #

        Sim, na verdade me expressei mal, quando disse “último dia” queria dizer “última diária”. No caso, um dia bem cedo até a noite do dia seguinte.
        Pois é, imagino que seja pouco mesmo, mas o tempo é curto, não tem jeito. Principalmente pra quem vai pra Plzen e Kutná Hora. Tem que sobrar algum para Praga né? Queria que tivesse mais dias pra explorar outras cidades do país…
        Ah, ótimo então, vou largá-la por lá e me embrenhar na cerveja.
        Obrigado! E obrigado pela resposta também.

        (Bem lembrado. Eu até li isso sobre os horários em inglês, mas já passei por tanta informação de tantos lugares que tinha esquecido. Obrigado)

  2. Carlos Chagas 14 de julho de 2012 às 2:18 am #

    Olá, jvbernatel.
    Venho mais uma vez ao seu blog para tirar uma dúvida contigo: qual é o lugar mais indicado para se trocar Euro por Coroa em Praga? A aceitação de Euro é completa ou é restrita a alguns serviços?
    Parabéns pelo blog, forte abraço e obrigado desde já.

    • jvbernatel 18 de julho de 2012 às 2:55 pm #

      A aceitação de Euro é bem restrita, na verdade. Hotéis em geral aceitam, muitos restaurantes no centrão turístico e um ou outro supermercado. Fora isso…
      Quanto ao lugar para trocar, também não posso ajudar muito porque, bem, não costumfazer. O Aeroporto provavelmente não é, e tem muitas casas de câmbio que anunciam “0% de comissão*” mas quando você vai ver o asterisco é “acima de 200 Euros”, ou coisa assim.
      Eu acho que em geral sacar dinheiro aqui é uma boa tática, porque a taxa de conversão é meio que a mesma; mas eu posso estar errado.
      Alguém…?

      • Carlos Chagas 18 de julho de 2012 às 7:08 pm #

        Pois é, as informações a respeito do uso de dinheiro em Praga são bastante controversas; nos sites que tenho buscado informação uns indicam trocar dinheiro em casas de câmbio localizadas na praça Venceslau ( que acho que não procede …), outros no aeroporto ou mesmo em bancos…Aqui no Brasil dizem que é difícil de encontrar Coroa para trocar…Confesso que já não sei o que fazer … =/

    • jvbernatel 19 de julho de 2012 às 3:07 pm #

      É difícil achar coroas no Brasil, mesmo. Mas tudo bem, trocar no aeroporto sempre é possível, só provavelmente não é a melhor conversão quantitativamente.

      • Carlos Chagas 19 de julho de 2012 às 7:31 pm #

        Obrigado jvbernatel!
        Ainda tenho um mês para resolver essa e outras questões. 🙂
        Forte abraço e obrigado pelos esclarecimentos!

  3. livia 12 de agosto de 2012 às 1:15 am #

    oi!
    queria informações de como chegar no aeroporto de brno a partir de praga?
    e como ir de berlim a praga?
    agradeço desde já as dicas
    Lívia

    • sarahkcp 18 de agosto de 2012 às 8:46 pm #

      Oi Lívia,

      Dê uma olhada no idos.cz. Lá tem todas essas informações que você quer, viagens e trajetos de trem e ônibus. 🙂

      Boa viagem.

  4. Vitor Hugo Cassini 23 de agosto de 2012 às 9:09 pm #

    Estarei em Munique em Setembro e pretendo ir a Pilsen e Praga. Você sabe como faço para ir de Munique para Pilsen diretamente? Depois já vi que de Pilsen para Praga de ônibus é bem fácil. Mas de Munique para Pilsen não acho em lugar algum.
    Obrigado.

    • sarahkcp 23 de agosto de 2012 às 9:30 pm #

      Oi Vitor,

      De Munique dá pra ir de trem para Plzeń. Se você fosse diretamente de Munique a Praga, trocaria de trem justo lá.

      boa viagem.

  5. isis 27 de agosto de 2012 às 7:37 pm #

    Oláá!!
    vc ainda mora em praga??? estou indo dia 26/09 para estudar na Charles de intercâmbio, seria muito bom conhecer brasileiros por aí! até por conta da lingua e costumes diferentes, se puder e quiser me mande um email para conversarmos!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: