Outono na Suíça (mais ou menos)

19 out

No fim de semana passado, nós fomos à Alemanha, provavelmente.
Ou à Suíça, dependendo do ponto de vista.

É que fomos fazer uma andança em um parque nacional no norte da República Tcheca, que é chamado de České Švýcarsko – literalmente, “Suíça Tcheca”. O parque é, digamos, adjacente a um parque alemão chamado de Sächsische Schweiz – que, até onde eu saiba, significa “Suíça Saxônica”. Eu diria que na verdade é um parque só, que calhou de ter uma fronteira internacional no meio. Eu arriscaria até o palpite de que ambas as partes se recusaram a chamar o parque de Boêmia Saxônica ou de Alemanha Tcheca, e no fim das contas resolveram invocar a neutralidade suíça para acabar com a discussão. (Na verdade foram uns artistas suíços do séc. XVIII que deram o nome por achar que parecia com a terra natal deles, mas eu prefiro a minha explicação.)

Só para dar uma noção, uma imagem do Google Maps mostra o quão perto da Alemanha nós estávamos. A linha cinza é a fronteira.

o ônibus veio pelo lado de cá do rio, mas talvez tenha voltado pelo de lá...

Nós fomos de trem até Děčin – uma viagem tranquila, só com duas paradas, que com desconto de grupo saiu por Kč 160 ida e volta por pessoa. De lá pegamos um ônibus até a vila de Hřensko, que apesar de minúscula tem 3 paradas com seu nome, o que nos confundiu um pouco. Mas com a ajuda espontânea de duas locais, descemos no lugar certo (a 3a). “Certo” para quem queria seguir a pé parque adentro, claro, que era o nosso caso.

Sarah pensando "hm, acho que o céu vai estourar nas fotos..." em Hřensko

O parque é bonito, fácil de andar (embora com menos trilhas alternativas do que eu esperava) e estava até sossegado, apesar de que a “trilha” começa seguindo a estrada e nessa área estavam acontecendo várias obras para reformar pavimentação e infraestrutura danificada pelas enchentes desse ano.

As formações rochosas da região, uma das suas atrações, são bem interessantes. É tudo arenito (suponho) que vai se desfazendo aos poucos, deixando as trilhas cobertas de areia em alguns lugares, e dando uma estranha sensação de que a praia deve estar logo ali depois da curva.

Lá pelo meio da trilha, chegamos ao principal ponto turístico do parque: a Pravčická Brána.

Pravčická Brána

Quando eu digo ponto turístico, é isso mesmo, com restaurante, lojinha, mirante e tudo mais (leia-se: turistas). Inclusive, as locais que nos indicaram onde descer no ônibus (e não desceram junto) já estavam lá quando chegamos, então suponho que haja um jeito mais fácil para quem quer pular toda a parte de caminhada e interação com a natureza e ir direto para os comes e bebes… De qualquer maneira, a turistaiada não atrapalha (exceto os alemães bêbados) a admiração da Pravčická Brána. Como ela foi formada eu não sei (cadê os geólogos para contribuir?), mas é bem bonita, e a vista de lá é mais ainda.

Vista a partir da Brána

Meio que sem prever, acabamos tendo uma bela amostra do que é o outono chegando. A paisagem fica parecendo uma colcha de retalhos, um pano verde com pedaços de laranja, amarelo e vermelho espalhados aqui e lá. Andar ali no meio, fazendo tchof, tchof, tchof quando se pisa nas folhas, rodeado de árvores amareladas que brilham quando o sol bate, foi bem agradável.

as árveres...

Continuamos pela trilha até Mezni Louka, que aparentemente é uma sub-vilazinha de Hřensko no meio do parque, só mesmo para dar uns pontos de parada para quem não quiser passar o dia todo andando ou voltar por onde veio. Foi uma trilha curta, mas deu para cansar as batatas. Aliás, ficamos lá em Mezni Louka repondo as energias com umas batatas fritas bem gostosas, esperando a hora do ônibus (são bem pouco frequentes, no fim de semana). De lá para Děčin, de Děčin para casa.

Saímos antes de amanhecer (e pegamos um belo nascer-do-sol no trem!) e voltamos para casa à noite. E se bobear, ainda demos um pulinho na Alemanha! Um dia bem gasto.

České Švýcarsko

(Como sempre – pelo menos essa é a intenção -, mais fotos estão no flickr da Sarah.)

Muitos acentos?

Um dia ainda faço um guia sobre pronúncia de tcheco. Por enquanto, aproximações livres de como se lêem esses nomes (vogais duplas aqui indicam longas):

České Švýcarsko: tchésquêê shviitsarsco

Děčin: dietchin

Hřensko: hrjensko (esse ř é cruel. Mas se você conseguir pronunciar hrj tudo em um som só, está no bom caminho!)

Pravčická Brána: pravtchitscaa braana

Mezni Louka: mezni louka (viu!? Tcheco é muito fácil!)

Anúncios

7 Respostas to “Outono na Suíça (mais ou menos)”

  1. rbp 19 de outubro de 2010 às 2:33 pm #

    O “c” não tinha som de “ts”? Ou seja, “Švýcarsko” não deveria soar “shviitsarsco”?

    • jvbernatel 19 de outubro de 2010 às 2:48 pm #

      Sim, deveria.

  2. Lissa 19 de outubro de 2010 às 4:13 pm #

    Que legal, vocês estão into para tantos lugares bonitos!

    • jvbernatel 20 de outubro de 2010 às 10:46 am #

      Pois é! Tem muito lugar bonito por aqui, mesmo, e facinho de chegar…

    • jvbernatel 20 de outubro de 2010 às 10:47 am #

      Esses em particular são “montanhas” – “hory” em tcheco, não sei se tem uma palavra em holandês…

  3. Stela 20 de outubro de 2010 às 7:19 pm #

    É tudo muito lindo, de dar água na boca e coceira nas pernas, de vontade de bater perna por aí. Mas o que me chama a atenção é o seu texto, uma atração à parte, pelo humor sutil. Ainda lembro de vc martelando furiosamente textos iconoclastas e surpreendentes na sua maquina de escrever (uma tecnologia que na época estava dando os últimos suspiros). Não perdeu o jeito. Tomara que reencontre o antigo gosto.

    • jvbernatel 24 de outubro de 2010 às 3:22 pm #

      Iconoclastas? Não lembro disso… mas obrigado!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: