Arquivo | outubro, 2010

28 de Outubro: fundação da Tchecoslováquia

28 out

Hoje, dia 28 de Outubro, é feriado aqui. É o dia em que, em 1918, foi fundada a Tchecoslováquia.

No fim da Primeira Guerra Mundial, o Império Austro-Húngaro se desfez e os tchecos conseguiram o país deles, uma república, e com isso todo aquele otimismo de início de século, de pós-guerra, e de ter uma nova nação própria; um país de tchecos e eslovacos (e umas outras minorias que viviam por aqui), democrático e não subordinado a um poder de fora.

Praga ainda era, na época, uma das grandes capitais mundiais, uma pérola da civilização ocidental e por aí vai. O primeiro presidente da tchecoslováquia, Tomáš Masaryk, era um humanista, respeitado e adorado (até hoje).

Estátua de Tomáš Masaryk, em frente ao Castelo de Praga. Fonte: wikipedia.

Continue lendo

Outono na Suíça (mais ou menos)

19 out

No fim de semana passado, nós fomos à Alemanha, provavelmente.
Ou à Suíça, dependendo do ponto de vista.

É que fomos fazer uma andança em um parque nacional no norte da República Tcheca, que é chamado de České Švýcarsko – literalmente, “Suíça Tcheca”. O parque é, digamos, adjacente a um parque alemão chamado de Sächsische Schweiz – que, até onde eu saiba, significa “Suíça Saxônica”. Eu diria que na verdade é um parque só, que calhou de ter uma fronteira internacional no meio. Eu arriscaria até o palpite de que ambas as partes se recusaram a chamar o parque de Boêmia Saxônica ou de Alemanha Tcheca, e no fim das contas resolveram invocar a neutralidade suíça para acabar com a discussão. (Na verdade foram uns artistas suíços do séc. XVIII que deram o nome por achar que parecia com a terra natal deles, mas eu prefiro a minha explicação.)

Só para dar uma noção, uma imagem do Google Maps mostra o quão perto da Alemanha nós estávamos. A linha cinza é a fronteira.

o ônibus veio pelo lado de cá do rio, mas talvez tenha voltado pelo de lá...

Continue lendo

Salamanca

14 out

Ok, agora que pus minhas coisas em ordem, já dá para relatar a nossa viagem para Salamanca.

Depois da confusão com as estações de trem em Madrid, conseguimos chegar em Chamartín a tempo de comprar os bilhetes. Decidimos ir de trem para Salamanca porque não há nada como uma viagem de trem para nós. Na Espanha, pelo menos para a região a oeste de Madrid, que foi onde procuramos, o bilhete de trem custa o mesmo (e dependendo do horário é até mais barato) que o bilhete de ônibus. Sem contar que a viagem de trem seria mais rápida por ter menos paradas (cerca de 2h e 1/2). Os trens da renfe, empresa de trens espanhola, são super confortáveis e modernos. Ousaria dizer que são melhores do que os que pegamos da deutsche-bahn.

A paisagem rural espanhola que vi foi exatamente como eu esperava: pedras, arbustos, touros, morros beges, tudo como tinha visto em Terra e Liberdade, filme de Ken Loach que retrata a guerra civil espanhola.

paisagem vista de dentro do trem

Continue lendo