Independência da Indonésia

19 ago

Uma das coisas mais legais de morar fora do país de origem é conhecer gente de tudo quanto é canto. E se você é estrangeiro as chances são de que outros estrangeiros farão parte de seu círculo de amizades. Este é o nosso caso agora. Conhecemos um casal paquistanês, um casal indonésio e outro alemão. Na terça-feira fomos convidados pela amiga para a celebração na embaixada da independência da Indonésia. Fiquei animada porque no panfleto que ela havia me enviado dizia que não apenas haveriam comidas típicas (eu já me interessei nessa parte), mas também danças e uma apresentação de marionetes.

A embaixada Indonésia estava toda decorada com bandeiras, guarda-sóis e um palco bastante elaborado. No palco haviam músicos tocando músicas típicas das diversas regiões indonésias. Mal chegamos, já procuramos a fila da sopa (com almôndegas feitas de coração e fígado de boi) porque o dia estava frio de danar.  Já estávamos nos dando por satisfeitos quando descobrimos que às 20:30 seria servido um jantarzão para comemorar o fim do jejum do dia (este é o mês do ramadã). Comemos um delicioso curry de bife, digno da minha mãe. Meu estômago tá chorando pedindo mais, só de lembrar.

Tcheco apresentando uma das danças típicas da indonésia.

A parte mais bonita de todas foi, sem dúvida, a apresentação de marionetes. Não apenas pelo palco, que estava decorado com dezenas de marionetes, mas também pela música e pela dança. O contador de histórias falou em inglês, tcheco e indonésio e as partes que entedi foram bastante engraçadas e cativantes. Não dava vontade de desviar a atenção. Eles contaram uma parte história do Ramayana, um épico hindu que conta as aventuras do príncipe Rama, a sétima incarnação do deus Vishnu realizada especialmente para matar Ravana. Mais precisamente, contaram a parte em que Sita (mulher de Rama) é raptada por Ravana (odemônio-rei que recebeu uma bênção do deus Brahma, na qual não pode ser morto por deuses, demônios ou espíritos) e então Rama e Hanuman (que é a incarnação de Shiva como um macaco-humanóide) vão atrás de Sita, ocorrendo uma grande batalha e, finalmente, a morte de Ravana.

O ângulo não é o dos melhores, mas como tinha muita gente tivemos que subir em cima da garagem para podermos ver a apresentação. Esta é a batalha final entre Rama e Ravana.

Anúncios

2 Respostas to “Independência da Indonésia”

  1. Stela 19 de agosto de 2010 às 3:02 pm #

    Uau! Vcs são o máximo! Além de se dedicarem a comer tudo o que podiam, em louvor da independência da Indonésia, é claro, ainda prestaram atenção nos detalhes da história do príncipe Rama contra o cruel Ravana. Que bom que vcs estão aproveitando o melhor de serem cidadãos globais, que é conhecer e gostar da diversidade de gentes, conhecimentos e costumes. Beijos!

  2. Ritayana 23 de agosto de 2010 às 6:09 pm #

    Viva la Independencia e free lunch/dinner!! hahaha.

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: