Arquivo | agosto, 2010

Divoká Šárka

21 ago

[pronúncia: Divokaa Shaarka]

Vista de Divoká Šárka. Quando chegamos, havia um rebanho de carneiros pastando no alto do rochedo.

Quando cheguei em Praga e pulei no ônibus para ir para casa, uma das primeiras paisagens que vi logo após o aeroporto foi a da reserva natural Divoká Šárka. No inverno a vista estava maravilhosa, com a neve cobrindo os rochedos. Naquele momento me prometi que um dia iria passear por lá. O nome Divoká Šárka traduz como “Šárka selvagem”. Reza a lenda que muito tempo atrás, onde hoje está Praga, um lado do rio Vltava era controlado por uma tribo de amazonas e o outro lado, o de Vyšehrád, por uma tribo só de homens. A tribo das amazons andava sob a ameaça iminente de um ataque da tribo dos homens e, como eram poucas, decidiram por capturar o melhor guerreiro dos homens, Ctirád [tstiraad], e assim desmotivar a tribo masculina. A líder das amazonas então mandou Šárka, que considerada muito bonita, servir de isca para capturar Ctirád. A partir deste ponto surgem duas versões para a lenda: a primeira conta que Šárka conseguiu seduzir Ctirád e, enquanto ele dormia, as amazonas o capturaram e o mataram. A segunda versão conta que Šárka o matou. Após o feito Šárka joga-se dos penhascos e aí surge outra controvérsia: o motivo para a queda. Uma versão diz que ela se jogou como forma de penitência por sentir-se culpada pelo assassinato, enquanto que a outra versão diz que ela havia se apaixonado por Ctirád e se jogou porque estava sofrendo muito com sua perda. O nome deste penhasco é Divci Skok (o salto da garota). Continue lendo

Anúncios

Independência da Indonésia

19 ago

Uma das coisas mais legais de morar fora do país de origem é conhecer gente de tudo quanto é canto. E se você é estrangeiro as chances são de que outros estrangeiros farão parte de seu círculo de amizades. Este é o nosso caso agora. Conhecemos um casal paquistanês, um casal indonésio e outro alemão. Na terça-feira fomos convidados pela amiga para a celebração na embaixada da independência da Indonésia. Fiquei animada porque no panfleto que ela havia me enviado dizia que não apenas haveriam comidas típicas (eu já me interessei nessa parte), mas também danças e uma apresentação de marionetes.

A embaixada Indonésia estava toda decorada com bandeiras, guarda-sóis e um palco bastante elaborado. No palco haviam músicos tocando músicas típicas das diversas regiões indonésias. Mal chegamos, já procuramos a fila da sopa (com almôndegas feitas de coração e fígado de boi) porque o dia estava frio de danar.  Já estávamos nos dando por satisfeitos quando descobrimos que às 20:30 seria servido um jantarzão para comemorar o fim do jejum do dia (este é o mês do ramadã). Comemos um delicioso curry de bife, digno da minha mãe. Meu estômago tá chorando pedindo mais, só de lembrar.

Tcheco apresentando uma das danças típicas da indonésia.

Continue lendo

Notícias Tchecas

11 ago

Enquanto que na Rússia o problema é uma onda de calor com direito a incêndios dignos de filmes do Michael Bay e na Alemanha os caçadores andam recebendo indenizações do governo alemão porque os javalis caçados estão radioativos demais para serem comidos, o problema da República Tcheca são as chuvas que andam caindo copiosamente nas últimas semanas. Diga-se de passagem, o problema afeta toda a Europa Central (os javalis radioativos não são os únicos problemas dos alemães).

Em Praga não tem chovido muito, apenas dia sim, dia não. O perigo mora pro sul e pro norte. Perto da fronteira com a Alemanha e Polônia, no fim de semana 5 pessoas morreram afogadas e milhares de pessoas tiveram de ser evacuadas. Outras milhares de casas na região estão sem energia elétrica ou gás natural. Em maio deste mesmo ano já haviam ocorridas outras enchentes na mesma região.

O risco de chuva contínua no sul do país é a possível inundação de Praga. Isto porque o rio Vltava corre do sul para o norte, passando por Praga. Em 2002 o nível do rio subiu horrores, alagando a cidade. O zoo teve de ser evacuado, jacarés e elefantes fugiram, o metrô ficou submerso (há placas nas escadas rolantes marcando até onde chegou o nível da água).

A notícia boa é que a chuva não deve durar muito não.

Para fins de comparação, preste bem atenção nesta escultura e na distância que fica da água.

Continue lendo